Atendimento odontológico à gestante cardíaca

    Os procedimentos odontológicos em gestantes devem ser realizados de preferência após a organogênese (depois da 12ª semana de gestação). O medo e a ansiedade do tratamento  podem repercutir para o feto. Em regra, as pacientes devem ser bem esclarecidas, pelo médico e pelo dentista. O “stress” pode favorecer o aparecimento de arritmias. Os analgésicos com adrenalina também devem ser evitados.

    As pacientes mais sensíveis a estas alterações são as com comprometimento do miocárdio e da valva mitral, em nossa observação.

    Naquelas com valvopatia o cuidado profilático com antibiótico deve ser rigoroso. Recomenda o uso de ampicilina ou cefalosporina, duas horas antes do procedimento e pelo menos por três dias após, nos casos de exodontia ou endodontia.

    Aquelas que estão usando anticoaguladas devem manter o tempo de protrombina entre 30 e 35%, e evitar grandes procedimentos, usar placas de fibrina e fazer sutura e “X”. Não há necessidade de suspender o anticoagulante oral. Caso seja necessário pode-se usar vitamina C 500mg ao dia sem nenhum inconveniente.

    Já é fato conhecido dos cirurgiões-dentistas que as grávidas têm maior tendência à cárie dentária (por alteração do cálcio) e às gengivites.  Neste tipo de pacientes com os devidos cuidados, não temos tido qualquer tipo de problema.

Dra. Socorro Azevedo

Dra. Socorro Azevedo formada em odontologia pela Universidade Federal da Paraíba. Atua na área de odontopediatria e clinico geral.

Um comentário em “Atendimento odontológico à gestante cardíaca

  1. Pingback: Online casino

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *